Diz Que Sou Uma Roda e Muito Viva

Sou quase mestre em Psicologia Clínica e desde há muito que aspiro a ser escritora. O que me move na vida é o Amor (com letra grande), para além do desejo insaciável pela (eterna) descoberta de todos os recantos do mundo (e mais alguns). No entanto, sou muito mais do que essas etiquetas com que toda a gente se define e usa para se lembrar das outras - daquelas que não conhecem assim tão bem.
Ora, eu conheço-me bem - vou-me conhecendo cada vez melhor, aos poucos... e talvez quem me acompanhar também (não fosse este blog uma gaveta da minha alma).
Se for para me (in)descrever...
Sou aos sorrisos e aos caracóis. Acusam-me de positiva e de alegre e, nisso, dou a cara como culpada. Falando em cadastros, não gosto de os encher com virares de costas antes de fazer tudo o que posso - só abandono o barco quando já nem a fita-cola me ajuda a segurar os cantos da boca para cima. Sei que, quando não há mantimentos que me valham, apenas forças que me ultrapassam, há que restabelecer objetos e rumos. Ora, nisto os caracóis estão sempre lá. Tenho muitas fases, muitos giros e rodopios. Construo, destruo e reconstruo o meu chão, enquanto rodo sobre aquilo que me vai na cabeça, tanto em pura imaginação e devaneios, como em considerações sobre a realidade. Sou, pois, pelas histórias: pelas que se leem, pintam e escrevem, que são a minha terapia e reforçar de espírito - mas, principalmente, pelas que se vivem.


Com vida,
Maria

Sem comentários:

Enviar um comentário