terça-feira, 1 de novembro de 2016

Adorando o Poder das Aspas em "Provado"

«A seleção de dados da realidade externa que são coerentes com a auto-imagem obviamente confirma - de maneira automática e circular - a identidade pessoal percebida... Consideremos uma mulher que desenvolveu uma auto-imagem como "intrinsecamente não digna de amor"... Cada vez que é abandonada, ela processa os dados derivados da experiência com base em sua auto-imagem (de modo que esta é reconfirmada e fica mais estável a cada vez) e pouco a pouco a sua qualidade de "não ser digna de amor" torna-se algo certo e "provado"».

- por Guidano e Liotti (1983, citado por Young, 2003)

Sem comentários:

Enviar um comentário