sábado, 15 de outubro de 2016

«[...] Porque o amor é, sim, paciente, mas tem o limite exato da dignidade que nos sobra ao fim do dia [...].»

- por Marcelo Camargo; texto integral: aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário