domingo, 1 de novembro de 2015

30. Sangria

Ao recusar beber mais do que um copo de sangria ao jantar, já houve quem me dissesse, elevando o jarro na minha direção, "devias trazer o teu copo e beber agora comigo. Sabes aquele dia em que eu queria estar contigo na festa e tu não foste, porque quiseste ficar no quarto? Agora devias vir beber comigo". A pessoa que me disse isto foi-se afastando progressivamente de mim no dia a dia (e claro que, posto isto, eu também me afastei)... Mas eu pergunto: é preciso chegar ao ponto de estar tocada pelo álcool para as pessoas que se interessam estarem comigo? De verdade? Julgo que não.

Sem comentários:

Enviar um comentário